Campo Grande/MS
DIPROMA
01 fevereiro 2019 - 09h57Por Michael Franco

Mesmo sem formação, ministra Damares Alves já se apresentou como mestre em Direito e Educação

Pergunta sobre, ela afirmou que seu título é bíblico; disse que, "diferentemente do mestre secular, que precisafazer mestrado, nas igrejas cristãs é chamado mestre todo aquele que é dedicado ao ensino bíblico"

OUVIR
Ministra Damares Alves, fala à imprensa (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Damares Alves, a ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, voltou às manchetes com mais uma história polêmica.  Em um discurso na igreja, antes de virar ministra, Damares se apresenta como "mestre em educação" e "em direito constitucional e direito da família". Acontece que ela não tem esses títulos acadêmicos.

Damares afirmou que seu título tem a ver com o ensino bíblico. Ela disse que,"diferentemente do mestre secular, que precisa ir a uma universidade pra fazer mestrado, nas igrejas cristãs é chamado mestre todo aquele que é dedicado ao ensino bíblico".

Outra Polêmica

A ministra ainda ganhou destaque com outra forte polêmica. Dessa vez, não é sobre uma frase controversa que ela falou. É sobre o que ela fez. A revista Época revelou que a adoção da filha indígena de Damares, Kajutiti Lulu Kamayurá, nunca foi formalizada legalmente.

A aldeia Kamayurá, no centro da reserva indígena do Xingu, norte de Mato Grosso, é o berço da Lulu, que hoje tem 20 anos, mas foi adotada aos 6. A condição em que a menina foi retirada da aldeia é motivo de polêmica entre os índios. Eles afirmam que Damares levou a menina irregularmente da tribo. Todos dizem que Lulu deixou a aldeia pra fazer um tratamento dentário na cidade e nunca mais voltou.

Ouça a matérica completa:

Deixe seu Comentário

Relacionados

Mais Lidas