Campo Grande/MS
AGRONEGÓCIO
07 maio 2019 - 08h43Por Lívia Machado, Joel Silva

Embate entre EUA-China pode beneficiar o Brasil

OUVIR

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou nesta segunda-feira, 6, que, caso os Estados Unidos e a China não alcancem acordo, o Brasil poderá ser beneficiado. Ela, porém foi cautelosa ao comentar a declaração do presidente americano Donald Trump, que, no Twitter, anunciou o aumento, a partir de sexta-feira, nas tarifas de 10% para 25% em cima de 200 bilhões de dólares em produtos chineses. Além disso, Trump ameaçou tarifar “em breve” em 25% o equivalente a 325 bilhões de dólares em outros produtos da China.
 
“Precisamos saber se foi só um recado duro ou se isso vai se efetivar”, afirmou a ministra, após participar de reunião do Conselho Superior do Agronegócio, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). “Claro que, se os Estados Unidos e a China não entrarem em acordo, e se as tarifas não voltarem ao que eram antes, realmente é uma oportunidade, uma janela de oportunidade a mais para o Brasil.”
 
A relação comercial entre Brasil e China vem melhorando desde que os Estados Unidos e o país asiático entraram em guerra comercial no início de 2018. As exportações brasileiras aumentaram em 35,2% para o país asiático no ano passado em relação ao ano anterior.
 
Segundo dados do Ministério da Economia, a soja, principal produto brasileiro da pauta de exportações, foi o que mais se beneficiou: representando 14% das vendas totais externas do país em 2018. De toda a receita exportada do grão, 82% foi para a China.
 

Deixe seu Comentário

Relacionados

Mais Lidas