Campo Grande/MS
LITERATURA
05 abril 2019 - 08h32Por Lívia Machado, Joel Silva

Livro "Vagabundagens: Romance que Manoel de Barros (não) escreveu" é tema do Clube do Café

OUVIR

Doutor e Mestre em Letras pela Uems e Unesp, o historiador e jornalista Genival Mota é autor de diversos livros que abordam temas atuais  como filosofia, juventude, comunicação, leitura e ética. Dentre os quais se destacam: A Caverna Ilu-Minada, Ser Adolescente Ser Fera, O Menino do livro e o menino da TV; O que aprendemos com Alice no País das Maravilhas, O que aprendemos com O Pequeno Príncipe.
 
Agora Genival Mota criou uma narrativa de fôlego: Va ga bun da gens: romance que Manoel de Barros (não) escreveu. O escritor criou um narrador andarilho que aprendeu a ler catando papéis; em uma de suas andanças encontra um volume da poesia completa de Manoel de Barros que para ele se transforma num espelho onde os nomes dos escritores clássicos aparecem invertidos.
Assim Mota coloca Manoel de Barros em diálogos com autores clássicos nacionais e mundiais. Com essa grane sacada na criação de um narrador andarilho – um ser desprezado pela sociedade – o escritor apanha os textos desprezados pela sociedade contemporânea e assim, como o poeta do inútil leva o leitor a prezar o desprezado.
 

Deixe seu Comentário

Relacionados

Mais Lidas